Entrevista #12 – Luiz Eduardo D’Urso

Imagem: Pixabay
Dano moral em ricochete na justiça do trabalho e o art. 223-B da CLT
Agosto 11, 2020
O “Privacy by Design” na Lei Geral de Proteção de Dados
Outubro 21, 2020

Entrevista #12 – Luiz Eduardo D’Urso

Passar pela curso de Direito é uma importante etapa para quem pretende consolidar-se na advocacia, em uma carreira pública ou até mesmo em outras áreas ligadas ao direito. O ambiente acadêmico, de fato, acaba marcando as nossas vidas e é neste momento onde temos um ambiente propício para aprendermos com nossos erros e acertos.

Sendo assim, nesta entrevista recebemos o Luiz Eduardo Filizzola D’Urso, que é acadêmico de Direto da Universidade Presbiteriana Mackenzie e coleciona grandes experiências no âmbito acadêmico.

 

Confira a entrevista na íntegra:

 

1 – O que lhe motivou a escolher o Direito?

Luiz Eduardo D’Urso — Sempre admirei o Direito, desde pequeno já ouvia meu pai falando sobre a sua profissão. Com o tempo fui compreendendo, de fato, a dimensão da carreira jurídica, a sua importância para a sociedade e fui me apaixonando por ela, até surgir a oportunidade de escolher o curso de Direito.

 

2 – Você tinha dito que almeja atuar na área do direito ambiental, como ocorreu essa decisão? É uma escolha definitiva?

Luiz Eduardo D’Urso — A decisão ocorreu após uma longa reflexão sobre o que faria sentido em minha vida. Algo que eu pudesse entender, trabalhar e efetivar, de acordo meus objetivos de vida, para desenvolver uma mudança positiva e permanente no mundo para as futuras gerações. A escolha nunca é definitiva, até porque ainda não conheço todas as áreas do Direito e posso também me interessar por outras áreas, ampliando meus estudos e meu campo de atuação. Isso o futuro resolverá.

 

3 – Como funciona a sua rotina de estudo? Você prefere estudar em qual horário?

Luiz Eduardo D’Urso — Gosto de me concentrar para estudar. Uma coisa que realmente me ajuda são as leituras que faço diariamente. Procuro textos e artigos visando uma compreensão maior do tema que estou estudando, o que se completa com as aulas da faculdade. Quando gosto muito do tema, procuro mais material, para me aprofundar. A leitura é muito importante. Leio revistas e jornais para me atualizar e para obter uma visão globalizada, o que, além de facilitar a leitura dos textos jurídicos, também amplia o vocabulário. Quanto ao horário para leitura e estudo, para as provas por exemplo, prefiro à noite, pois o silêncio e a tranquilidade me ajudam a concentrar.

 

4 – Embora acadêmico do curso de Direito, você tem adquirido algumas experiências significantes – exemplo do júri simulado do caso MMDC. Tu podes explanar um pouco mais sobre elas?

Luiz Eduardo D’Urso — Acredito que todas as experiências acadêmicas são enriquecedoras para quem delas participa e tento desfrutar destas oportunidades de novas experiências que a vida me proporciona, como o caso do Júri Simulado do MMDC. Sentir a energia de um Tribunal do Júri e poder dele participar são coisas que, enquanto acadêmico, podemos sentir nessas simulações. Neste Júri estive ao lado da querida Profa. Patricia Vanzolini e do Dr. Sidnei Lobo Junior, dois profissionais que fizeram com que o momento fosse muito próximo de um verdadeiro Júri. Também participei de outro Júri simulado, a respeito do Tribunal Penal Internacional, que muito me marcou. Nestas duas oportunidades minha participação foi na tribuna da defesa.

 

5 – Com relação às organizações das quais você faz parte, como tem sido desempenhar este trabalho? Aproveitando o ensejo, pode explicar um pouco sobre elas?

Luiz Eduardo D’Urso — Sou membro do Rotaract Club Universidade Mackenzie desde 2018. O Rotaract é uma organização internacional que estimula a liderança jovem a partir do trabalho voluntário. A satisfação pessoal de poder ajudar a comunidade, doando seu tempo para diversas iniciativas é incomparável, vale a pena experimentar. Atualmente, sou Diretor Administrativo e também Diretor da Comissão de Meio Ambiente. E mais, procuro ajudar na questão administrativa-jurídica de Clube. Minha paixão pelo meio ambiente me faz um grande promovedor de projetos ambientais, dos quais destaco o SustentaMack, projeto que plantou mais de 500 mudas de árvores pela cidade de São Paulo.

 

6 – Você convive diariamente com grandes referências da advocacia, seus irmãos e o seu pai, Luiz Flávio D’Urso, que, inclusive, já foi presidente da OAB/SP. Qual a influência deles em sua vida?

Luiz Eduardo D’Urso — A influência deles na minha vida é que todos são exemplos próximos de sucesso na área do Direito. Eu tenho a oportunidade de observá-los bem de perto e até tirar minhas dúvidas com eles. Tudo isto traz também uma grande responsabilidade, a de trabalhar duro e corretamente, alicerçado na ética e na verdade, buscando incessantemente a Justiça!!!

 

7 – Agora chegamos na segunda parte da entrevista, será um bate e volta, com perguntas breves.

 

a) Uma inspiração?

Luiz Eduardo D’Urso — Sem dúvida a minha maior inspiração é meu pai, Luiz Flávio Borges D’Urso.

 

b) Um hobby?

Luiz Eduardo D’Urso — Escrever, gosto de escrever frases, poemas, artigos, qualquer texto com conteúdo ou mensagem positiva.

 

c) Um objetivo?

Luiz Eduardo D’Urso — Ao invés de ter como objetivo plantar uma árvore, escrever um livro e ter um filho, tenho como objetivo plantar mil árvores, escrever bons livros e ter uma família.

 

d) Direito Civil ou Direito Penal?

Luiz Eduardo D’Urso — Essa é difícil, não tenho como, por enquanto, escolher só um ramo. Os dois ramos do Direito são igualmente relevantes.

 

e) Uma frase?

Luiz Eduardo D’Urso — “O mundo não está ameaçado pelas pessoas más, e sim por aquelas que permitem a maldade” de Albert Einstein.

 

Luiz Eduardo Filizzola D’Urso é Acadêmico de Direto da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Membro da Liga Acadêmica Agromack, Estagiário na D’Urso e Borges Advogados Associados, Diretor Administrativo e Diretor da Comissão de Meio Ambiente do Rotaract Club Universidade Mackenzie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *